Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Resenha do Livro Churumela e o Amuleto de Belizar

Churumela e o Amuleto de Belizar conta a história de... Bem, da Churumela, uma garota de quinze anos que perdeu o pai com treze e desde lá trabalha em uma lanchonete, esquivando-se da baba venenosa do chefe e contando com alguns amigos. Ela tem um nariz de coxinha e olhos violeta.                 A vida dela já não é algo tão normal, mas ao completar 16 anos ela descobre de várias maneiras bem interessantes e que se eu contar vai ser spoiler, que na verdade ela é princesa, ou melhor a Lizka de um mundo chamado Bakía e que precisava voltar para lá e achar o Amuleto de Belizar, um amuleto muito poderoso que sua mãe deixou para ela.                 A história é contada de uma maneira simples pelos olhos da Chu, que é uma personagem super engraçada e simpática, ela fica o tempo todo falando com o leitor e soltado piadinhas nos momentos menos propícios, ela também tem o talento de deixar os poderes de princesa ela falharem no momento que ela mais precisa.                 Temos vários pe…

Vamos dançar macarena no Senado? Ou na câmara, tanto faz, é tudo uma festa mesmo

Ok, estou me segurando para não dar nenhuma opinião sobre política ou qualquer coisa do gênero, primeiro porque como tenho 17 anos vai ter um monte de gente que vai dizer que é coisa de adolescente sem noção que não sabe nada de leis ou que não dá a mínima para o país. Também vão querer me acusar de inocência, já que não tenho experiência o suficiente para entender dessas coisas, mas não estou nem aí. Minha paciência morreu junto com o decoro parlamentar e uma política bonitinha no Brasil. Primeiro, sabemos que a sacanagem rola solta no nosso governo, desde que os Portugueses aqui chegaram, acho que em algum momento da criação da Terra, foi decidido pelo acaso (ou por Deus, seja lá no que você acredite) que o Brasil teria tudo para ser um país incrível, mas os políticos daqui seriam péssimos. Não, espera, acho que péssimo chega a ser um eufemismo.  Se bem que os políticos são reflexo do povo... Só que eu tenho fé no nosso povo, então alimento a ideia que as pessoas só estão acostumada…

Resenha do Livro: Garota de Domingo

E se o amor da sua vida passasse a te ver apenas aos domingos durante um ano inteiro e você descobrisse uma agenda com o nome de meninas diferentes em cada ia do semana? O que você faria? Expulsaria ele no ato ou lutaria por ele? Pam resolveu lutar por Davi, mesmo sabendo que ele só havia feito burradas naquele ano.                 Garota de Domingo é o segundo romance de Letícia Black, publicado pela Novo Século e com uma as capas mais lindas e fofas da minha estante, conta a história de Pam e Davi. Pam é uma menina com dinheiro, deixada de herança e além disso é compositora, ama Davi e não consegue entender porque ele mudou sua atitude, quer dizer, antes ele raramente se embebedava e agora chegava todo santo Domingo em sua casa bêbado.                 Então, como já falei, ela descobre uma agenda e uma lista. Nessa lista e descreve a característica de cada menina que quer no dia, ela se derrete toda ao ver que no seu dia esta escrito “Uma garota que seja para sempr…

Aqui

Aqui estou, parada no limite do mundo, vendo a guerra dos deuses, ouvindo o canto das fadas e sendo inspirada por gênios.  Aqui estou, observando o fogo e a desolação, tentando agarrar os sonhos que se dissipam no universo.  Aqui estou, na poeira das estrelas, no limite do mundo, dentro dos sonhos. 

Resenha do livro: Fangirl

Estou em ressaca literária e das brabas, do tipo: “o livro era bom demais e invés de lê-los aos poucos li em apenas um dia e agora acabou e não sei o que faço da minha lista de leituras”. Então, bem, mas que livro que eu estou falando: Fangirl, da Raibow Rowell (só dizendo que o nome dela significa Arco-Íris e isso é muito mágico... Ok, parei).                 Em fim, porque estou em ressaca literária? Primeiro porque quando eu ganhei o livro (do mesmo amigo que me emprestou Fios de Prata e me viciou no Draccon) eu simplesmente fiquei: Romance? Ele sabe que não curto romances, até achei que não tinha sido ele.                 Daí, tá, peguei o livro pensando: Vai ser outro que vai ficar empacado. Pois é comecei hoje de meio dia e faz uns dez minutos que terminei de lê-lo. Sim, eu subestimei o livro então talvez por isso eu tenha o achado tão bom, mas ele realmente é ótimo.                 Fangirl conta a história de Cather, ou como ela prefere: Cath, que tem uma irmã…

Meu bem...

A gente vive em um mundo complicado, meu bem. Em um país que não damos uma boa educação ou estressamos os nossos jovens ao ponto de terem níveis de ansiedade altíssimos, porque passar no vestibular, ganhar dinheiro e ter sucesso é só o que importa. Não é algo poético, não é?                 Quer dizer: cadê todo aquele papo de amor e felicidade? Ah! Meu bem... Ele morreu junto com a dignidade humana.                 Você sabe, odeio Marx, mas é verdade quando ele diz que esse sistema corrompe o ser humano, na verdade acho que ele só nos ajudou a chegar mais rápido a decadência e a corrupção.                 Você sabe meu bem, acredito que a história é em ondas e que estamos na última reta antes do verdadeiro fim, ou do começo de uma nova era. Só que com toda essa ganancia, com todos esses senhores da guerra que querem conflitos armados para vender mais armas e ganhar mais dinheiro, o que nós podemos esperar? O fim, meu bem, o fim...                 Mas mesmo que esse seja o fim, nã…

Nova Parceria Com a autora: Elaine Souza

Eu demorei um pouco para fazer esse post porque demorei para passar as fotos para o computador, então sim, briguem comigo. Mas aqui está ele.
Eu recebi esse pacote lindo da autora Elaine Souza com seu livro: Churumela e o Amuleto de Baltazar, adorei o pacote e os mimos.
Vou deixar maiores informações sobre o livro aqui embaixo. Em breve terá resenha aqui, mas já falo que o livro é super engraçado!! Estou adorando!










Sinopse 2: “Churumela é uma adolescente de quinze anos, que trabalha como garçonete desde a morte de seu pai há três anos. A sua mãe a abandonou assim que nasceu, deixando-lhe apenas uma medalha de ouro com a inscrição Bakía, cujo significado ela só irá descobrir dias antes de seu aniversário de dezesseis anos ao ganhar um espelho rachado e uma folha em branco. A partir de então, novas amizades e aventuras invadem a pacata vida da garota de nome esquisito, que 
descobrirá o mistério sobre sua verdadeira identidade e que seus olhos não são violetas por acaso.”




Resenha Do Livro: A Garota da Casa Grande.

Estou pensando em como começar essa resenha há um mês, primeiro porque não quero resumir o livro a algo que ele não é, porém não sei como explicar sem tocar no tema polêmico que fará muitas pessoas pensarem exatamente o que eu não quero que pensem. Mas hoje chego a velha conclusão que não posso controlar o pensamento de ninguém e que está na hora de eu parar de enrolar e fazer essa resenha.                 Primeiramente eu achei que o livro era maior. Quer dizer, A Garota da Casa Grande é um romance e normalmente romances costumam ter umas 400 páginas de enrolação melosa e chata, porém não esse. Em 112 páginas a Amanda – autora do livro para os desinformados – consegue escrever uma história perfeita de um amor de verão que vai além de um amor de verão.                 Ela começa o livro de uma maneira quase melancólica que é quebrada pelos comentários sarcásticos e quase azedos da personagem que narra o livro. A Georgia é encantadora, obviamente se encantadora signifi…

Canetas e justiça

Particularmente falando odeio biologia. Não porque realmente odeio, mas não é algo que eu vá trabalhar pelo resto da minha vida, então normalmente quando estou resolvendo os exercícios e procurando aulas no youtube sobre os assuntos, deixo-me entrar em notícias e conversas sobre assuntos que eu gosto.                 Como direito, filosofia, luta feminista, fatos históricos, etc...                 Normalmente navegar nessas coisas me deixa extremamente decepcionada com a humanidade, mas eu ainda acredito em justiça. Ou acreditava até dois fatos incrivelmente estranhos entrarem em uma sincronia e extrapolarem o meu nível de fatos que podem ser ignorados e que não são relevantes para fazer um texto.                 Não que existam fatos irrelevantes para isso, mas quando você está no terceirão tentando estudar para o vestibular e tem uma mente que adora pensar sobre assuntos, você precisa elencar os seus pensamentos e o seu tempo.                 E eu juro que eu não i…

Dia Do Abraço

Katherine acordou com seu habitual mal humor. Fez o café enquanto terminava de escovar o cabelo e vestir o moletom – tudo quase ao mesmo tempo - em seu ritmo alucinante de ai-meu-Deus-vou-chegar-atrasada.                 Engoliu o café para acordar de vez. Escovou os dentes. Amarrou o cabelo que só para não variar estava uma desgraça, já que por ter sido escovado as pressas resolvera armar – até ali nenhuma novidade, era apenas outro dia na vida entediante e pontual de Katherine.                 Saiu correndo do pequeno apartamento, precisava chegar ao ponto de ônibus em cinco minutos ou o perderia e então perderia a primeira aula na faculdade de direito. Obviamente daria tempo, sempre dava.                 Mas Katherine não esperava ver o que viu naquele dia. Havia uma multidão nas ruas, o trânsito parado, todo mundo com placas, cantando canções que não eram estranhas a ela. Porém em seu humor a fez pensar em algo como: “Ah sério? Manifestação? Que droga!”.        …

Nova Parceria com a autora: Amanda Marchi.

Olá gente, eu já tinha essa notícia há alguns dias, porém hoje eu recebi o livro (provavelmente ele chegou faz um tempinho, mas só vim hoje para o endereço de entrega) e gostaria de informar que estou muito feliz com essa parceria e vou começar a ler o livro hoje, então provavelmente até sexta que vem eu posto a resenha.
A Autora que o blog realizou parceria é Amanda Marchi e aqui vai um pouquinho sobre ela:






 Escritora, autora do livro A garota da casa grande e inúmeros contos, que podem ser lidos no meu blog. Escorpiana e Brasiliense que comemorará o vigésimo dia de seu nome em Outubro deste ano. Viciada em tatuagens e ruiva falsa. Fã de carteirinha de  As crônicas de Gelo e Fogo, Harry Potter, escritores russos e seriados médicos. Assim como de mangás e super heróis. Larguei o terceiro ano do ensino médio, acabei fazendo supletivo; larguei meus amigos e a família no Cerrado e vim para a cidade maravilhosa, acabei encontrando a garota da minha vida; larguei a faculdade de Letras por nã…

Aí vai um conselho

O fato é que você deve saber lidar com as coisas, não ser forte. E esse é o maior erro de todas as pessoas deprimidas, é falarem para si mesmas que devem ser fortes, que devem fingir que não ligam e que não sentem, sabe, não é assim que as coisas vão mudar, passar ou você vai conseguir para de se sentir mal por elas.                 Ser forte não te leva a lugar nenhum. Fingir que não sente só vai te trazer mais dor e culpa por continuar sentido. Colocar a porra de um sorriso no seu rosto não vai te fazer ser forte e não vai mudar merda nenhuma.                 E não me venha com “Mas você é uma garota forte”, sou porra nenhuma, eu sou uma garota complexada cheia de defeitos e que por muitos anos tentou ser “forte”, mas a verdade meus amigos é que não adianta, no final do dia, com as luzes apagadas, deitada na minha cama, quando todos estavam dormindo eu continuava chorando até não poder mais, continuava me perguntando “Quando tudo irá mudar?” e a resposta nunca chega…

Resenha do livro: Battle Royale

Battle Royale é um livro pelo qual eu estive esperando a tradução por uns dois anos, porque foi mais ou menos há dois anos que eu acabei vendo em uma discussão em algum lugar na internet onde Jogos Vorazes estava sendo acusado de plágio, eu querendo averiguar se procedia eu fui atrás do mangá que fizeram de Battle Royale.                 E obviamente eu adorei. Só parei de ler porque fui atrás de spoiler e quando meu personagem preferido ia morrer eu fiquei brava e não quis ler mais. Porém quando entrei na livraria e vi aquela capa vermelha e divida escrito “Battle Royale” eu juro que eu dei um gritinho e comecei a pensar em como convenceria a minha mãe em como comprar o livro.                 Bem, eu consegui. E se eu tivesse tido tempo teria devorado o livro em dois dias, mas como estar no último ano do ensino médio é um saco demorei quase três semanas para ler o livro.                 Mas afinal de contas sobre o que fala? Bem, para começar Battle Royale é um livro de um autor Ja…

Quem é você?

Se me perguntassem quem eu sou eu diria: Eu não sei, acho que sou azul, sabe como é, tem todo aquele lance de lembrar a tristeza e a melancolia, talvez até diria sou rosa e trago uma alegria incontida, quem sabe não seria vermelho, explosiva e raivosa como uma bomba incontida? Se estivesse de bom humor até diria sou arco-íris, mas se fosse logo de manhã cedo eu responderia: "Sou preto, sou branco, sou cinza, tanto faz só quero voltar a dormir". Talvez se me pegasse escrevendo eu responderia sou incolor, sou da cor da dor, sou da cor do amor, sou de qualquer cor, desde que seja algo, pois o não ser me assombra e a multiplicidade de cores e coisas que posso me tornar é o que me movem a escrever.  E por isso digo: Não sou estudante, leonina ou filha pródiga que ao lar retorna, sou apenas uma escritora vivendo em um mundo onde as histórias ainda são necessárias e a alegria é o que nos traz a verdadeira liberdade.

Divagações influenciadas pelo café sobre o feminismo

Eu deveria estar estudando, mas só para variar estou procrastinando (na verdade eu tenho uma teoria que é tudo culpa do café, mas vou parar de divagar) e resolvi escrever alguma coisa. Não sabia muito bem sobre o que falar e como o café já é uma tema batido aqui no blog resolvi fazer um post manisfestando meu repúdio sobre algumas coisas que estão acontecendo.
Bem, vamos lá, eu  não sei se a sociedade mudou muito nos últimos anos ou fui eu que mudei e comecei a perceber mais as coisas, porém eu tenho quase certeza que nos últimos tempos a humanidade tem decaído o seu nível (olha... as últimas vezes que isso aconteceu tivemos revoluções e guerra). Quer dizer, para quem não sabe sou feminista convicta e sempre que posso demonstro minha revolta contra o comportamento machista, homofóbico (coloque aqui também tran sfobia e todas essas fobias em relação ao gênero ou sexualidade alheia) e racismo (conta também xenofobia, só que o racismo é muito mais forte no Brasil do que a Xenofobia). Si…