Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

.....

“John! Que bom que você veio! Hey, não, devolve minha sapatilha!” os gritos dela ecoavam pelo pátio, e as risadas dele eram quase como melodia, para a pequena garota, que ainda estava vestida com seus trajes de bailarina, e as sapatilhas, que agora estavam nas mãos do garoto loiro, estavam antes penduradas na mala. “Calma pequena, preciso de pagamento para devolvê-las” ele disse sorrindo marotamente, ela riu, abraçando-o, e dando um selinho no garoto que a puxou para perto de si e aprofundou o beijo.  “Agora você devolve elas para mim?” A garota perguntou sorrindo, e estendendo a mão, o garoto devolveu as sapatilhas e a puxou para si, dando-lhe mais um selinho. “Claro que sim minha pequena bailarina!” ela riu, adorava os apelidos que ele lhe dava, mesmo que sempre corasse quando ele inventava um novo. E ele adorava a cor que tingia a face da garota. O garoto segurou a mão dela, e assim, de mãos dadas, eles caminhavam a esmo, ele tinha seu skate preso a mochila, e ela a sapa…
O garoto desce do skate e entrega uma carta para a garota, que sorri, torcendo para que aquilo não fosse uma carta de despedida como pensava que era, ela abriu lentamente, e começou a ler as linhas traçadas pela letra firme do garoto.

"Meu amor, E eu ainda me lembro bem, quando eu pensei que te vi pela última vez, me lembro daquele sorriso bobo que brincava em seus lábios, e me faziam querer sorrir também.  Eu ainda me lembro bem de sua voz manhosa, suas birras e brigas pelo meu jeito de ser, mesmo que no fundo fosse exatamente por aquele meu jeito que você gostasse de mim. E eu me lembro bem de como eu reclamava, implicava, e enchia seu saco, querendo atenção e aquela sua risada, que você sempre achou ridícula, mas para mim era a mais linda do mundo. Te ver partir daquele modo foi a pior coisa que eu poderia ter vivido, foi a pior coisa que eu fiz, foi minha maior idiotice. Foi uma das primeiras vezes que eu desejei não ter errado tanto. Eu te vi escapando das minhas mãos, eu te vi se…